Candidaturas de laranjas devem levar à cassação da coligação, decide TSE

Dos 11 vereadores de Valença do Piauí, seis tiveram os mandatos cassados. Coligações usaram mulheres como laranjas para alcançar o mínimo de 30% de candidaturas femininas.

Por G1 19/09/2019 - 16:45 hs

Candidaturas de laranjas devem levar à cassação da coligação, decide TSE
Candidaturas de laranjas devem levar à cassação da chapa, decide TSE

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu que candidaturas de laranjas, feitas para fraudar a cota mínima de mulheres, devem levar à cassação de toda a coligação. A decisão foi tomada no julgamento de um caso do interior do Piauí, em que seis vereadores perderam o mandato acusados de usar essa tática.

A Câmara de Valença do Piauí, cidade de quase 21 mil habitantes, começou o dia vazia. Dos 11 vereadores, seis tiveram os mandatos cassados, inclusive o presidente. Eles fazem parte de duas coligações que, segundo a Justiça Eleitoral, usaram mulheres como laranjas para alcançar o mínimo de 30% de candidaturas femininas. Uma dessas candidatas obteve apenas um voto, a outra zerou nas urnas, e a terceira candidata não apareceu sequer para votar no dia da eleição.

A ação foi movida por outra coligação. “Nós tínhamos candidatos que eram mãe e filho. A mãe teve um voto e o filho teve 800 e tantos votos”, diz o advogado Wallysson Soares.

Na noite de terça-feira (17), o TSE determinou a cassação de Raimundo Nonato Soares (PSDB), Benoni José de Souza (PDT), Ariana Maria Rosa (PMN), Fátima Bezerra Caetano (PTC), Stenio Rommel da Cruz (PPS) e Leonardo Nogueira Pereira (PROS).

Moradores saíram em carreta para comemorar a decisão. “Quem vai dar credibilidade a uma mulher que que assumir um cargo e nem comparece para votar?”, questiona a aposentada Maria de Jesus Rego.continua>>>