Laudo que deveria ficar pronto em 10 dias atrasa 5 meses e juiz do RN manda soltar presa

Sem exame toxicológico para comprovar ilegalidade de substância, juiz da 9ª Vara Criminal de Natal determinou soltura de acusada de tráfico de drogas. 'Lastimável', disse magistrado.

Por Erivan Camara 22/09/2017 - 16:18 hs

Laudo que deveria ficar pronto em 10 dias atrasa 5 meses e juiz do RN manda soltar presa
Sede do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte, em Natal (Foto: Divulgação/I

A demora do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN) em apresentar laudos exigidos pela Justiça, levou um juiz a tomar uma decisão inédita na 9ª Vara Criminal de Natal: soltar uma mulher que foi presa em flagrante por tráfico de drogas. É que, sem o exame toxicológico que comprovasse se a substância apreendida era mesmo ilegal, não restou alternativa ao magistrado senão determinar a soltura da acusada. O laudo, que tem prazo legal de 10 dias para ser concluído, levou 5 meses para chegar ao juiz continua>>>