Governistas se desentendem sobre Previdência

Após Jucá anunciar votação para fevereiro, Maia e Eunício negam ter combinado adiamento

Por Erivan Camara 14/12/2017 - 10:58 hs

Equipe da Presidência divulgou nota após o senador Romero Jucá declarar que haveria um acordo com os presidentes da Câmara e do Senado para deixar a reforma da Previdência para fevereiro; Maia e Eunício, contudo, afirmam que não houve tal acerto

O Palácio do Planalto publicou uma nota por volta das 19h desta quarta-feira, 13, para informar que o presidente Michel Temer ainda espera que haja a leitura do relatório de Arthur Maia sobre a reforma da Previdência nesta quinta-feira, 14, para só depois ter conversas com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), sobre a definição de uma data para iniciar a votação da proposta.

O comunicado veio na sequência das declarações do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que já haveria um acordo para deixar a reforma da Previdência para fevereiro.

Em reação às declarações de Jucá, auxiliares do presidente fizeram reuniões no Planalto e decidiram publicar a nota para mostrar que não há a intenção “de jogar a toalha” na “batalha” pela aprovação da reforma da Previdência.

Parlamentares envolvidos com a votação da proposta e a articulação política para aprová-la seguiram a mesma linha. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, negou que haja um acordo para deixar a votação da reforma da Previdência para fevereiro de 2018. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), também negou ter participado de reuniões sobre o tema.

Em conversa presenciada pela reportagem, Eunício disse a senadores que o acompanhavam ao entrar no plenário do Senado: “Não fiz reunião com Michel (Temer). Não fiz reunião com ninguém.”

Apesar de negar a existência do acordo anunciado por Jucá, Maia reconheceu que “votar (a reforma da Previdência) semana que vem é difícil”. Segundo Maia, qualquer decisão sobre o assunto será tomada em conjunto com Temer. Ele disse que pretende se reunir nesta quinta-feira com o presidente. “Estou esperando para ver se governo tem votos para votar já na próxima semana.”

Quando a proposta for levada a plenário, ela será “com certeza” aprovada, afirmou Maia.via Portal no Ar